27 de agosto de 2010

Rio de janeiro -Brasil-Operação na Vila Ideal prende seis traficantes e deixa dois mortos


BRASIL RIO DE JANEIRO-.Operação na Vila Ideal prende seis traficantes e deixa dois mortos
Uma operação da Delegacia de Repressão a Armas e Entorpecentes (Drae) na Vila Ideal, em Duque de Caxias, na manhã desta quarta-feira, prendeu seis traficantes, sendo dois menores de idade, e deixou dois mortos. Entre os que morreram está Neliton Oliveira da Silva, o Bradock, que recentemente apareceu em uma reportagem da TV Globo segurando uma metralhadora ponto trinta.
Os dez policiais que participaram da operação apreenderam quatro metralhadoras, quatro pistolas 9mm, uma apostila ensinando como usar armamentos de grosso calibre, cadernos com contabilidade do tráfico, munições, celulares, rádios transmissores e grande quantidades de crack, maconha, maconha hidropônica, raxixe, cocaína e cheirinho da loló.
Os presos são Leandro Luiz Pereira, de 23 anos, Anderson Gomes do Nascimento, de 21, Jorge Luiz dos Santos Silva, de 18, Maicon Francisco da Silva, de 20, e dois menores de 16 e 17 anos. O segundo morto ainda não foi identificado.
De acordo com o chefe de Polícia do Rio Alan Turnowski, a ação foi montada em cima dos erros dos traficantes. E que agindo dessa forma é possível agir de forma rápida e com poucos homens.
- A sociedade exige que as operações sejam cada vez mais cirúrgicas. Jogamos com os erros deles (traficantes) e assim trabalhamos de forma rápida, com poucos homens. Nessa operação tiramos oito homens de circulação - contou Turnowski.

Um comentário:

ROBERTO BRANDÃO disse...

Violência no Rio de Janeiro é destaque na imprensa internacional O episódio do tiroteio entre um grupo de homens armados e a polícia, seguido pela invasão de um hotel de luxo na zona sul do Rio de Janeiro, foi destaque em vários veículos da imprensa internacional.
O jornal espanhol El País destacou as declarações do presidenciável José Serra (PSDB), que estava no sábado, dia do incidente, no Rio de Janeiro. O candidato criticou o que chamou de "precária política de segurança pública" do governo federal e reiterou sua proposta de criar um ministério devotado ao assunto, afirmando que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva não teve "uma verdadeira política nacional contra o tráfico de drogas e armas".