8 de dezembro de 2009

Pancadaria no Couto Pereira - Fluminense 1 x 1 VIOLÊNCIA



O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.

3 comentários:

ROBERTO BRANDÃO disse...

Há bastante tempo venho tentando compreender a passividade por parte das autoridades responsáveis pelas regras e legislações dentro do futebol, principalmente no tocante àquelas que visam a preservar a integridade dos atletas, os quais são os principais responsáveis pela imensa e contagiante alegria proporcionada pelo futebol.QURO DEIXAR AQUI UM PEDIDO AOS DIRIGENTES DE FUTEBOL,PUNAM COM RIGOR ACABEM COM A VIOLÊNCIA ;OBRIGADO.
Não consigo entender como é possível permitir que um inconsequente e irresponsável - não estou me referindo ao prejuízo financeiro, mas sim à integridade física - possa, através de uma entrada dura e maldosa, quebrar a perna de um atleta e receber como punição uma mera suspensão de alguns jogos ou, às vezes, nem ser punido

ROBERTO BRANDÃO disse...

Nos últimos anos, os amantes do futebol têm convivido com brigas, vandalismo e disputas entre torcedores. Os exemplos são inúmeros. E a situação piora cada vez mais. No país inteiro, o cenário é o mesmo: muitas mortes envolvendo brigas entre torcidas. É para evitar essas tragédias que está em discussão no Congresso Nacional um projeto de lei para reformular o estatuto do torcedor.

Mas será que vai adiantar alguma coisa? O que mais precisa ser feito para que uma partida de futebol não se transforme em caso de polícia? Na sua opinião, o Brasil está preparado para sediar uma Copa do Mundo? O Justiça em Questão desta semana vai discutir uma série de medidas que poderiam ser tomadas pelas autoridades para diminuir a violência no futebol

ROBERTO BRANDÃO disse...

O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.