20 de maio de 2010

Grupo de extermínio é investigado na zona leste


Grupo de extermínio é investigado na zona lesteFolha de S.Paulo

A Polícia Civil de SP investiga cinco policiais militares suspeitos de integrar um grupo de extermínio em bairros da zona leste da capital. A suspeita é que eles tenham matado ao menos 11 pessoas.

Corporação não comenta o assunto
Segundo a investigação do DHPP (departamento de homicídios), o alvo do grupo seriam usuários de drogas. A hipótese dos investigadores é que as mortes tenham sido cometidas para que o grupo assuma o comando dos pontos de venda.

Um dos crimes investigados é o assassinato do ex-motoboy Roberto Marcel Ramiro dos Santos, morto com dez tiros, às 4h35, na porta de sua casa, na Vila Invernada, no dia 8 deste mês, quando completava 22 anos. Dezenove dias antes de ser assassinado, Santos e sua mãe, Janete Cristina Rodrigues, 49, haviam sido ameaçados de morte por um PM do 21º Batalhão, onde atuam os cinco policiais sob investigação.

"Na véspera do feriado de 21 de abril, o Valdez [policial militar identificado pelo DHPP como Valdez Gonçalves dos Santos, 36] pegou meu filho na porta de casa, e fui defendê-lo. O PM olhou nos meus olhos e disse: 'vou matar seu filho e depois a senhora'", contou Janete. O depoimento da mãe e de um amigo de Santos, que viu o PM Valdez dirigindo um carro da corporação antes do atentado, são a base para um pedido de prisão do policial Valdez.

O veículo da PM dirigido por Valdez era seguido por um Honda Fit prata e um Meriva preto. Numa segunda volta pela rua onde Santos foi morto, Valdez já não estava no carro da PM. Na terceira volta, apareceram apenas os carros prata e preto, de onde partiram os tiros.

2 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre

de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE
ROBERTO


ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHOCOLATE, EL NAZARENO- LOVE STORY,- Y- CABALLO, .

José
ramón...

ROBERTO BRANDÃO disse...

CONFIGURAÇOES BASICAS E FINAIS.
O sistema de segurança pública, de nosso país, precisa passar por grandes mudanças, para atender as novas exigências sociais, direcionando suas ações em conformidade com as novas idéias e metodologias, atreladas ao respeito dos Direitos Humanos. Entretanto, não podemos viver de ilusão e acharmos que as transformações ocorrerão facilmente, visto que as políticas públicas começam a acenar para as questões referentes aos Direitos Humanos.
Devemos ter em mente que discursos e teorias não se consolidam se não tivermos organismos sérios e eficazes que coloquem em prática as políticas desenvolvidas. Por isso, temos que pensar seriamente como poderemos transformar uma situação historicamente construída se as novas ações, ainda não se preocuparam em olhar para fatos que estão na origem do problema. Como poderemos falar de um sistema policial respeitador dos Direitos Humanos e da cidadania se o contexto profissional do policial, ainda se encontra repleto de ações que desrespeitam seus direitos e garantias fundamentais, e que negam sua dignidade humana. Dificilmente esse mesmo policial não atuará em desrespeito aos direitos de cidadania, pois o modelo que lhe é proposto e vivenciado em seu dia-a-dia fala mais alto do que as teorias e falácias políticas, e refletirá de alguma forma, no exercício de suas funções.
Somente teremos a oportunidade de conhecermos e vivenciarmos uma polícia cidadã, quando a cidadania do policial for respeitada. Se queremos uma polícia verdadeiramente cidadã, precisamos reconhecer que o primeiro passo para alcançarmos tal objetivo reside no fato de proporcionarmos ações transformadoras que elevem a auto-estima do policial e sua consciência, em relação aos conceitos definidores dos Direitos Humanos, transformando a antiga mentalidade imposta e reproduzida no sistema policial e proporcionando meios que elevem a própria cidadania do policial.




REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
AGUIAR, Roberto A. R. Trinta afirmações para uma segurança pública democrática e efetiva. IN: Polícia, um desafio da democracia brasileira. MARIANO, Benedito Domingos e FREITAS, Isabel (orgs.). Rio Grande do Sul/ Porto Alegre: Corag, 2002, pp.
BALESTRERI, Ricardo Brisola. Direitos Humanos: Coisa de Polícia. Passo Fundo-RS: CAPEC, Paster Editora, 1998.